Palavra da Plataforma do Cuidado 
Simone Catalan 

Página após página, pétala após pétala, edição após edição, dia após dia e desafio após desafio vamos aprendendo com a Alê:


Que mesmo quando uma situação parece não ter saída, sempre existe uma luz, um caminho, algo para nos inspirar. Mesmo quando o corpo parece tomado por uma doença ainda existe saúde e essa precisa ser o foco para se estabilizar.


A dançar, cantar, alegrar, meditar, dialogar, alimentar, a nutrir-nos de n possibilidades para elevar o padrão vibracional e nos cuidar, reconectar e esperançar. A nutrição é pessoal, portanto, cada um deve buscar o sentido e a essência para a construção da própria Flor da Cura.


Que devemos deixar morrer qualquer situação que precise sair/ir para abrir novas possibilidades para o caminhar, para ser possível surgir o novo, mesmo que isso represente desapegar da regência da vida a qual estávamos acostumados viver.


A construir e permitir círculos de cuidado repletos de amor, carinho, acolhimento, energia, apoio para nos sustentar quando tudo à volta parece se fechar, dando fluidez à Vida e não aumentando os medos, as angústias ou o desespero.

 

Todos esses sentimentos existem, porém ao vivermos em coletivo para curarmo-nos , cada qual torna-se protagonista transbordando vidas.

_CAPA - Alexandra Reschke - A Flor da Cu